Bebê



02. CUIDADOS COM O RECÉM NASCIDO

O primeiro passeio
A primeira saída com o bebê requer cuidados especiais quanto à escolha do local, das roupas, do transporte e, principalmente, do conteúdo da sacola da criança. Anote o que você deve levar:
Uma muda completa de roupa
Colchonete para a troca de fraldas
Fraldas descartáveis (o número de fraldas varia com o tempo de duração previsto
para o passeio)
Lenços umedecidos
Loção
Protetor solar
Mamadeira (caso não amamente)
Babador
Brinquedo, chocalho etc
Fralda de algodão
Água e suco (garrafinhas térmicas)
Frutas e colher (caso a criança se alimente de sólidos)
Chapéu (é importante proteger o bebê do sol)

O que fazer em caso de choro
Segurar o bebê com suavidade e firmeza para transmitir-lhe segurança.
Checar se o bebê está limpinho.
Procurar o pediatra se o choro for inexpressivo, se a criança estiver alheia a estímulos externos e se os pais perceberem um lamento diferente.
Quando o caso for cólica, colocar o neném de bruços, massageando suas costas no sentido da nuca para as nádegas.
Aquecer mãos e pés também ajuda. Deve-se criar um ambiente calmo na família, reduzindo a ansiedade da mãe e do filho.

Cuidados com o umbigo
Após o nascimento o cordão umbilical é cortado a alguns centímetros do umbigo. Como nessa área não há nervos, o procedimento não causa dor à criança. Em cerca de dez dias o coto deve ficar preto e cair. Até lá, a mãe deve ter cuidados especiais com essa parte do corpo do bebê. Há risco de infecção, principalmente se o umbigo permanecer molhado e sujo durante muito tempo.
Até cair, o coto deve ficar bem ventilado. Embora as secreções sejam normais, o pediatra deve ser consultado se o local apresentar pus ou sangue.
A área em volta não deve ficar vermelha ou inchada. Caso isso ocorra, o médico deve ser procurado o mais rapidamente possível, pois estes sintomas indicam infecção.
Deixe o maior tempo possível o coto em contato com o ar. Não cubra o local com calça plástica, fralda ou curativos.
Mantenha o local sempre seco e livre de impurezas. Para limpar o coto, utilize um chumaço de algodão limpo e umedecido em produto recomendado pelo pediatra. A limpeza deve ser realizada delicadamente no coto e na região em volta do umbigo.
Após a queda do coto, a região deve ser limpa e seca diariamente para que o processo de cicatrização seja concluído.

O banho
A hora do banho traz sempre muita insegurança para as mães de primeira viagem. Deixe tudo pronto antecipadamente: o sabonete do bebê, a toalha, as fraldas, roupinhas limpas etc. Utilize, de preferência, banheiras antideslizantes e bem apoiadas. Verifique se a água não está quente demais. Tire as roupinhas do bebê, deixe a fralda e envolva-o numa toalha, de modo a prender delicadamente seus braços.
Sente-se próxima à banheira e lave o rosto e a cabeça do bebê, sem ainda colocá-lo dentro da água. Depois, desenrole o bebê, retire a fralda e segure-o com seu braço esquerdo. Você deve passar o seu braço esquerdo pelas costas da criança, prendendo-o firmemente embaixo do braço esquerdo dela. Desse modo, a cabeça fica inteiramente apoiada no seu antebraço e o bebê se sente seguro. Coloque-o delicadamente na água e, com a mão direita, você irá banhá-lo facilmente.
Retire-o da água e envolva-o na toalha. Enxugue cuidadosamente todas as dobrinhas. Não é recomendável usar talco. Seque bem, principalmente o umbigo. Não use faixas sem curativos fechados. Vista a criança com roupas confortáveis e não prenda os braços ou pernas dela: o bebê gosta de movimentar essas partes do corpo.
Muitos pais tomam banho com aos filhos. Porém, é importante usar o bom senso e respeito, vitais para evitar a estimulação precoce da sexualidade. Na opinião da psicanalista infantil e terapeuta familiar Anelise Sandoval Scappaticci, quando o banho ocorre com bebês de até um ano de idade não há maiores problemas - o contato pele a pele com os pais é bom para ambos. "Nessa fase, todo o contato corporal é importante para o bebê. Mas os pais devem ficar atentos para evitar mexer nos genitais, estimulando excessivamente o nível sexual", explica ela.
Segundo a psicanalista, a partir de um ano de idade a criança naturalmente olha para os genitais dos pais e passa a ter uma percepção maior das diferenças. "É necessário ajudar a criança perceber que, além dos pais, existem outras coisas ao redor. Caso contrário, a atenção dela ficará centralizada no corpo da mãe ou do pai", diz Anelise.

Fragilidade na moleira: mito ou realidade
Nossas avôs e mães sempre nos ensinaram que devemos tomar cuidado com a moleira do recém-nascido, dada a sua fragilidade. Entretanto, essa região pode ser tocada, acariciada e lavada normalmente. A compressão, porém, não é aconselhada, pois não há camada óssea a proteger o cérebro do bebê (no décimo oitavo mês os ossos da cabeça se fecham, fazendo com que a moleira desapareça).

O estímulo ao arroto
Estimular a criança a arrotar após amamentá-lo no peito ou na mamadeira é muito importante. O ar que a criança engole ao mamar pode dar a falsa impressão de que esteja satisfeita. Para ajudar o recém-nascido a arrotar, basta encostá-lo no ombro e massagear levemente as suas costas. Caso o bebê regurgite o leite, não se preocupe. Isso é normal.

Cuidados especiais com as meninas
Quando bebê, a menina pode ter a vagina afetada por algumas irritações, como assaduras, candidíase ou oxiúros. Atenção: sangue ou mau cheiro na vagina são indícios de que a criança inseriu algo no órgão genital. Em recém-nascidas, um corrimento esbranquiçado com sangue durante alguns dias é comum e não deve ser motivo de preocupação. Após essa fase e até antes da puberdade, os corrimentos passam a ser anormais. O alerta vale também para sinais de dor ou coceira dentro ou ao redor da vagina, vermelhidão e corrimentos persistentes, pois indicam que algo não vai bem.

Cuidados especiais com os meninos
Nos meninos, o prepúcio (pele que cobre a ponta do pênis) pode inflamar ou infeccionar devido às assaduras. Quando na região da virilha ou no escroto é verificado inchaço, pode haver uma hérnia - uma alça dos intestinos fica protuberante em uma parte fraca das paredes abdominais. Se essa parte do corpo do seu filho estiver inflamada, lave-a sem sabonete e seque-a a cada troca de fralda ou, pelo menos, uma vez por dia. Tente não puxar o prepúcio de seu filho para trás. Como essa pele não se retrai até, pelo menos, os quatro anos de idade, ao movê-la você poderá provocar uma inflamação.
Procure um médico imediatamente caso o prepúcio de seu filho esteja inchado, vermelho ou com corrimento. O pediatra também deve ser chamado se a hérnia de seu filho começar a doer ou tiver alguma alteração. Há casos em que pode ser feita uma circuncisão (cirurgia para remoção do prepúcio). Caso você pense em circuncidar seu filho, converse com o médico. Como toda cirurgia, essa também traz riscos e só é feita por razões médicas ou por força de práticas religiosas.

 

 
 
 
 
 


Apoio

Seja Nosso Colaborador

Quer ser colaborador de nosso portal?
Garanta a qualidade nas informações aqui publicadas.

Saiba mais

Anúncie Aqui !!!

Quer ser nosso parceiro e anunciar em nosso portal?

Saiba mais

Bebê na internet

Siga-nos !!!